Todos os dias, neste espaço, divulgo um poema da minha autoria para que a minha inspiração vos possa servir de guia.

Every day, in this space, I spread a poem of my authorship so that my inspiration can serve as a guide to all of you.

Receber poemas por / Receive poems by Email

Translate

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

Chaves 2014 – Feira dos Santos / Fair of Saints

Viva a feira, viva a feira
Há gente por toda a cidade
Animação não falta
Há nos rostos das pessoas felicidade.

São três dias no ano
31 de Outubro, 1 e 2 de Novembro
É um costume antigo
Quando começou? Já não me lembro.

É uma época do ano
Que atrai muitas pessoas de fora à região
Uma festa de caracter religioso
Que tem também um cariz pagão.

É assim durante 3 dias
Chaves sofre uma transformação
É a Feira dos Santos
Que faz parte da sua tradição.

Escrito: 29 de outubro de 2014
In Costa, Maria Leonor. Poesias Mundanas.


Long live the fair, long live the fair
 There are people all over town
Animation does not missing
There is happiness on people's faces.

Three days in the year
October 31, 1 and 2 November
It is an old custom
When it started? I can’t remember.

It is a time of year
That attracts many people from outside the region
A celebration of religious character
Which also has a pagan nature.

Thus for 3 days
Chaves undergoes a transformation
Is the Fair of Saints
That is part of their tradition.

Written: October 29, 2014
In Costa, Maria Leonor. Worldly poetry.

 

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

A Rádio / The Radio

A Música toca na rádio
Faz muita companhia
Entremeada por anúncios
E interlocutores com muita energia.

Os ouvidos vão atentos
Aos sons que tocam
A tudo o que é dito
E aos assuntos que se focam.

Ouvem-se novas músicas
Mas também sons do passado
Um trabalho coletivo
Que me mantém acordado.

Despertar assim
Ajuda a relaxar
Para que o dia corra melhor
É preciso com a rádio certa acordar.

Escrito: 29 de outubro de 2014
In Costa, Maria Leonor. Poesias Mundanas.


The music plays on the radio
Makes a lot of company
Interspersed with ads
And with interlocutors with lots of energy.

The ears go alert
To the sounds that are played
In all that is said
And to the issues that are focus.

We hear new songs
But also sounds from the past
A collective work
That keeps me awake.

Awakening like this
Helps relax
For the day go better
You must awake with the right radio.

Written: October 29, 2014
In Costa, Maria Leonor. Worldly poetry.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Gosto de Aprender / I enjoy learning

Gosto de aprender
Tudo me desperta curiosidade
Há tanto que não sei
Essa é a realidade.

Muitos assuntos me interessam
E tenho vontade de estudar
Todos os dias há coisas novas
O mundo está sempre a girar.

Dá-me prazer ler teoria
E aplicar aquilo que aprendo
Tudo é novo conhecimento
E de aprender nunca me arrependo.

Tomo consciência de que pouco ou nada sei
Há sempre tanto para aprender
Estudo temas diversos
E de tudo um pouco tento entender.

Escrito: 28 de outubro 2014
In Costa, Maria Leonor. Poesias Mundanas.


I enjoy learning
Everything wakes me curiosity
There is so much I do not know
That is the reality.

Many topics interest me
And I want to study
Every day there are new things
The world is always spinning.

It gives me pleasure to read theory
And apply what I learn
Everything is new knowledge
And of learning I never regret.

I realize that I know little or nothing
There is always so much to learn
I study various topics
And a bit of everything I try to understand.

Written: October 28, 2014

In Costa, Maria Leonor. Worldly poetry.

 

terça-feira, 28 de outubro de 2014

A Mentira / The Lie

Algumas pessoas têm
Uma grande facilidade em mentir
Dizem com a boca
Aquilo que com a mente não conseguem sentir.

São pessoas que com o corpo
Não conseguem transmitir
A fantasia por si criada
E vivem com o medo de alguém descobrir.

A mentira nunca é uma solução
Mais vale a verdade assumir
Do que inventar uma qualquer desculpa
Que nunca é suficiente para o receio encobrir.

Escrito: 28 de outubro de 2014
In Costa, Maria Leonor. Poesias Mundanas.


Some people have
A large facility in lying
They say with their mouths
With what the mind can’t feel.

Are people that with body
Can’t transmit
The fantasy created by themselves
And live with the fear of someone finding out.

Lying is never a solution
Better to assume the truth
Than invent any excuse
Which is never enough to cover up the fear.

Written: October 28, 2014
In Costa, Maria Leonor. Worldly poetry.

segunda-feira, 27 de outubro de 2014

A hora de Inverno já mudou / The winter time has changed

SSetembro já se foi
Outubro está quase a terminar
As folhas já começaram a cair
E o tempo vai começar a piorar.

Umas atrás das outras
Sucedem-se as estações
São quatro ano após ano
Distribuídas em iguais porções.

O Verão já se foi
O Outono já chegou
Mais um ano de mudanças
E muito para trás ficou
Não há espaço para mágoas
Pelo tempo que passou
Contudo como ficou instituído
A hora de inverno já mudou.

Escrito: 27 de outubro de 2014
In Costa, Maria Leonor. Poesias Mundanas.


September is gone
October is almost over
The leaves have started to fall
And the weather will begin to deteriorate.

One after the other
A succession of the seasons
There are four year after year
Distributed in equal portions.

Summer is gone
The autumn has arrived
Another year of changes
And much backward was.

No room for grief
By the time that has passed
However as has been established
The winter time has changed.

Written: October 27, 2014
In Costa, Maria Leonor. Worldly poetry.

domingo, 26 de outubro de 2014

Um pouco do meu serão / A bit of my night

Sentada no Maple
A ver televisão
A noite vai longa
E eu tenho o comando na mão.

Olho para o ecrã
Mas não presto atenção
Perco-me nos meus pensamentos
Faço uma introspeção.

Penso no dia que passou
Naquilo que vi, li e aprendi
Faço um balanço de tudo
Sobre aquilo que vivi.

Largo o comando por instantes
E este poema paro para escrever
Faço um balanço deste momento
Que já não vos posso esconder.

Retomo o controlo de tudo
Volto a prestar atenção
E assim parei para registar
Um pouco do meu serão.

Escrito: 21 de outubro de 2014
In Costa, Maria Leonor. Poesias Mundanas.


Sitting on the Maple
Watching television
The night is long
And I have the command at hand.

I look at the screen
But I do not pay attention
I get lost in my thoughts
I do an introspection.

I think on the day that went
What I've seen, read and learned
Do an assessment of all
About what I experienced.

I leave the command briefly
And I stop to write this poem
I take stock of this moment
I can no longer hide from you.

I return the control of all
I'll be back to pay attention
And so I stopped to register
A bit of my night.

Written: October 21, 2014
In Costa, Maria Leonor. Worldly poetry.

sábado, 25 de outubro de 2014

Chorar ajuda / Crying helps

Chorar ajuda
Alivia a dor
Amacia a pele do rosto
Pode ser um ato de amor.

Uma lágrima corre pela face
Seguida por outras tantas gotas
Os olhos encharcados de água
Transbordam dores soltas

Não adianta conter
Nem sequer reprimir
É preciso deixar correr
Até nada haver para cair.

O alivio é imediato
É algo que sai de dentro para fora
Todos sabem o que digo
Pois todo o ser humano chora.

Escrito: 21 de outubro 2014
In Costa, Maria Leonor. Poesias Mundanas.


Crying helps
Relieves pain
Softens the skin of the face
It can be an act of love.

A tear runs down the face
Followed by many drops
The soaked eyes water
Overflow loose pains.

No use to contain
Even suppress
You must let run
Until there is nothing to fall.

The relief is immediate
It's something that comes from inside out
Everyone knows what I mean
For every human being cries.

Written: October 21, 2014
In Costa, Maria Leonor. Worldly poetry.
 

Gadget

Este conteúdo ainda não se encontra disponível em ligações encriptadas.